variasracas

Quantas raças criar?

Quantas raças criar? O dilema dos criadores!

Um dilema muito comum para o criador é responder a questão: quantas raças criar? Ser especialista em uma raça ou ter várias opções para os interessados.

Essa dúvida tende a ser mais relevante se o criador já se decidiu criar raças de pequeno porte ou mesmo gatos.

Já os criadores de raças grandes tem mais dificuldades para criar várias raças de cães grandes, entretanto, poderá ter a vontade de ter algumas opções de raças pequenas.

Mas afinal, vale a pena ter várias opções ou não?

Custos de Manejo

Se o criador já possui alguma raça de pequeno porte, a inclusão de animais de outra raça de pequeno porte, tende a ter custos semelhantes.

A não ser que essa nova raça possua alguma característica que possa impactar muito nos custos de manejo. Banhos regulares, problemas de saúde constantes, não serem sociáveis com os demais animais do plantel, etc. podem alterar os custos significativamente.

Se o criador irá reduzir o atual plantel para acomodar o novo plantel da nova raça, os custos não devem ser muito impactados. Entretanto, se ocorrer uma ampliação geral no número de animais, então os custos irão subir de forma proporcional.

Já o custo de aquisição poderá variar muito, mesmo entre animais de raças pequenas. A aquisição de um bom animal das raças mais populares pode chegar a vários milhares de reais. Enquanto a aquisição de animais de raças sem tanto apelo comercial pode ser 10% do valor de um bom animal de uma raça popular.

O criador que possui animais de grande porte e decide adicionar animais de pequeno porte, ainda tem o problema de se adaptar ao manejo de animais com necessidades diferentes. E, em muitos casos, terá de investir em estruturas para separar os grandes dos pequenos.

Mercado

É muito comum que interessados solicitem aos criadores que ampliem o leque de opções de raças disponíveis.

Criadores de raças pequenas são constantemente bombardeados sobre pedidos de filhotes de outras raças que ele não dispõe. E aí logo já estará pensando: “Poderia ter um casalzinho da raça e ter filhotes ocasionais!”.

Os criadores de raças grandes estão constantemente pressionados por custos elevados e, quando possuem ninhadas, pela pressão de vender logo um número grande de filhotes de uma hora para outra. Não é incomum pensarem em ter uma opção de raça de porte pequeno.

No Brasil, as raças mais populares são, em geral, cães de pequeno porte. Logo, seria de pensar em escolher as 3 raças mais procuradas e montar plantéis para atender a essa demanda. Dessa forma o criador entenderá que sempre haverá demanda.

O grande problema desse pensamento é que, assim como existe uma demanda forte, existe uma concorrência forte. Na maior parte das vezes os compradores de filhotes de cães de raça pequena compram localmente. Logo, se o criador não estiver numa boa “praça”, será bastante prejudicado.

A competição por preço também é mais forte entre os cães de pequeno porte, embora não seja o preço o principal fator de compra.

Marketing

Esse item é que realmente faz toda a diferença para o criador. Saber quantas raças criar é saber quantos planos de marketing ter.

Cada raça, por si só, tem sua própria marca junto a imaginação das pessoas. Ou porque pesquisou na web, ou porque ele teve um animal na infância, ou porque o artista famoso tem, etc.

É muito difícil para um criador trabalhar na divulgação de uma raça nova ou exótica. Portanto o primeiro passo é procurar criar uma raça que as pessoas conheçam. Ele pode até não ser muito popular, mas as pessoas, de uma forma geral, devem saber qual é a raça.

Se o criador pretende ser reconhecido como um bom criador, ou seja, que vende animais bonitos, saudáveis e que atendam as expectativas do cliente. É muito mais fácil ser reconhecido por criar bem uma raça do que várias.

Associar o nome do criador a uma raça é bem menos trabalhoso do que associar o nome a várias raças. Assim como é muito mais fácil montar um bom plantel de uma raça do que de várias.

Fazer anúncios em qualquer mídia demonstrando os animais, filhotes, etc de cada raça que o criador cria com certeza irá elevar os valores dos investimentos necessários para se destacar da concorrência.

Sabemos que hoje em dia, mais do que nunca, ter um marketing muito eficiente é fundamental para passar pelo momento de crise. Agora, multiplicar isso pela quantidade de raças criadas, poderá ser a ruína do criador.

Conseguir estabeler uma boa marca é difícil, mas longe de ser impossível.

Para um criador de raça pequena, torna-se muito mais importante ser referencia na raça em sua região, antes de ampliar para áreas mais distantes. Já os criadores de raça grandes, podem ter abrangência bem maior.

Portanto, para cada raça, seria necessário esforços distintos para se destacar.

Lembrando que quando falamos em marketing, quanto maior a concorrência, maiss investimento será necessário para o resultado aparecer. Logo, se você decidir criar as 3 raças mais populares, o investimento será bem significativo.

Se tiver um casalzinho para ninhadas ocasionais, talvez o retorno não vá valer a pena.

Conclusão

Saber quantas raças criar é uma decisão que cada criador deverá tomar levando em conta os pontos destacados.

Uma estratégia que pode dar um bom resultado, é registrar um nome de canil ou gatil para cada raça criada. Dessa forma a marca fica associada à raça.

Com certeza é muito mais fácil ser especialista em uma raça do que em várias. Por outro lado, é colocar todos os ovos na mesma cesta.

Sendo especilista, o conhecimento do criador também tende a ser muito maior do que quando a atenção tem que ser dividida entre várias raças.

Portanto, criar uma ou várias raças deve ser feita com profissionalismo, para que o criador seja bom em tudo que decidir criar. Ser “meia-boca” na criação geralmente traz muita dor de cabeça e não compensa!