Comissão no Banho e Tosa – Vale a Pena?

Desafio da Produtividade com a Comissão no Banho e Tosa

Um dos grandes desafios de um Banho & Tosa é melhorar sua produtividade, ou seja, fazer mais serviços no menor tempo possível, sem perder a qualidade.

Várias ações podem ser realizadas para atingir esse objetivos, entretanto vamos falar hoje na variável humana, ou seja, o banhista.

Ter um bom banhista é fundamental para que se tenha uma boa produtividade. Às vezes o melhor banhista não é necessariamente o mais experiente, é o que faz o serviço de forma mais detalhada e cadenciada possível.

Entretanto, como em qualquer atividade, a repetição do mesmo serviço é naturalmente exaustiva e alguns animais não ajudam muito. A tendência é que após poucas horas banhando os animais, a disposição tenda a diminuir.

Vantagens

Gratificar o banhista pode ser um incentivo ao banhista continuar num bom ritmo até mais tarde. É a chamada Comissão no Banho e Tosa.

O próprio banhista se envolve com os ganhos da empresa nessa atividade. Quanto mais banhos efetuar ao longo do mês, maior será a remuneração ao longo do mês. Dias de baixo movimento serão sentidos por todos e o próprio banhista se sentirá envolvido a ajudar a vender mais os serviços.

Nos dias de maior movimento, a motivação tenderá a se manter mais alta ao longo do dia, pois cada banho realizado, é mais no final do mês.

O valor do salário fixo mensal pago pela empresa pode ser um pouco menor em comparação aos locais onde não existe comissão. Dessa forma os custos fixos podem ser menores. Se a quantidade de serviço for maior, o banhista poderá ganhar mais, entretanto se a quantidade de serviços cair, os custos da empresa também caem.

Desvantagens

O maior risco dessa abordagem é que o banhista conclua os banhos sem a qualidade necessária. Focando somente em ganhar a comissão no Banho e Tosa. Portanto é importante que alguém valide o processo no final. Dessa forma, em caso de necessidade de retoques, eles poderão ser feitos antes do cliente receber o animal.

Outro aspecto é se o Banho & Tosa possui um número bom e regular de banhos oriundo de planos. Dessa forma não há muita variação na quantidade de banhos ao longo do tempo. Logo, como o ganho pode ser regular, o incentivo a produtividade acaba não dando muito resultado. Uma vez que a Comissão no Banho e Tosa se torna praticamente inalterada.

Nos períodos de alta demanda, os banhistas ganham mais e se sente mais motivados. Entretanto, quando ocorrem baixas, a insatisfação pode aumentar. Ou mesmo quando é necessário contratar um novo banhista, o que acaba reduzindo os ganhos dos banhistas mais experientes.

A longo prazo esse tipo de incentivo pode exaurir o banhista. Portanto avalie bem se não é interessante, após um período maior, remover a comissão e tentar manter um valor fixo e acompanhar a produtividade. Tão logo a empresa esteja financeiramente estável, manter um ritmo muito intenso de trabalho poderá baixar a qualidade do serviço ou provocar evasão dos colaboradores.

Quando utilizar

Empresas que estejam no início, que ainda não possuem uma base de clientes muito grande podem se utilizar da comissão no Banho e Tosa para reduzir os custos fixos. A medida em que fazem mais serviços, tanto a empresa quanto o banhistas ganham mais.

Para novos banhistas contratados é possível, durante o período inicial, adotar uma abordagem de comissionamento. Dessa forma, até ele demonstrar um boa produtividade e qualidade do trabalho é possível trabalhar com a comissão no Banho e Tosa até atingir as metas de produtividade e qualidade.

Outra abordagem é das empresas que desejam trabalhar de uma forma mais integrada com o colaborador. Sempre mantendo os aspectos negativos dessa abordagem sob controle. Dessa forma a coesão com a equipe pode ser muito interessante.

Controle

Para controlar essas comissões, é fundamental ter um bom sistema de gestão, como o SistemaPET, que permite controlar as comissões, tanto de serviços avulsos quanto no caso de clientes com planos.

A transparência desses extratos é fundamental para que o colaborador tenha confiança no processo.

Conclusão

Cabe a cada Empresa avaliar os prós e contras do comissionamento e avaliar como extrair os melhores resultados da operação. Em alguns casos o comissionamento poderá dar um impulso grande. Já em outros poderá se tornar uma enorme dor de cabeça.

Avalie com cuidado e com calma, levando em conta o tamanho da empresa, a cultura da empresa, os riscos e benefício e sucesso na decisão!

Eduardo Antunes

CEO do SistemaPET, Criador desde 1997. Bacharel de TI pela UFPEL 1998. Especialista em Marketing Digital.