O que considerar ao comprar a ração do seu pet

Descubra quais são os principais aspectos que devem ser considerados na hora de comprar uma ração 

Quem é pai ou mãe de pet sabe o quanto nos preocupamos com o bem-estar dos nossos companheiros. Adotar boas práticas de cuidados com os pets aumenta a qualidade de vida, minimiza o risco de surgimento de doenças e promove o bem-estar dos animaizinhos.

Neste sentido, a alimentação é um dos principais pontos de atenção que devem ser observados pelos tutores. A escolha da ração certa, a dosagem adequada das quantidades e as visitas periódicas ao veterinário fazem toda a diferença na manutenção da saúde de cães e gatos.  

Mas, afinal, como saber qual é a melhor ração? Como avaliar custo e benefício? Como entender quais são as necessidades específicas de uma determinada raça?

Faixa etária do animal

Ao escolher a ração para o seu animal de estimação, o primeiro aspecto que deve ser avaliado é a faixa etária do animal. O mercado de rações oferece produtos específicos para filhotes, animais adultos, castrados e idosos.

Por regra, a ração para filhotes é indicada para animais com idades entre 3 e 12 meses. Do 1 até os 7 anos o animal deve consumir ração para adultos ou castrados; e, a partir dos 8 anos, a ração recomendada é para idosos.

A diferença entre as rações para cada faixa etária está na composição que é pensada para atender as necessidades nas diferentes fases da vida. 

Os gatos filhotes, por exemplo, precisam de uma ração rica em aminoácidos que vão auxiliar no melhor desenvolvimento do sistema imunológico. Os adultos, por sua vez, precisam de uma alimentação que seja menos calórica e com alto teor de proteínas (que deve ser a base da alimentação dos gatos).

É importante destacar que os gatos têm necessidades distintas dos cães. O cachorro filhote, por exemplo, deve consumir rações fortalecidas por minerais e vitaminas, já que ela ajudam no desenvolvimento da estrutura óssea e formação de tecidos. 

O tutor não precisa conhecer os detalhes sobre as demandas nutricionais específicas para cada faixa etária, pois as fabricantes de rações fazem a classificação e indicam os melhores produtos para cada animal e faixa etária.

Necessidades especiais

Outro aspecto que precisa ser considerado na escolha da ração é a eventual existência de necessidades especiais: raças específicas, doenças e condições preexistentes podem direcionar para o uso de uma ração específica.

Desta forma, o filhote precisa passar por uma avaliação veterinária que vai identificar e direcionar o consumo da ração de acordo com as características e particularidades do animal. 

Composição da ração

Dê preferência para rações que tenham uma composição de ingredientes naturais, com mais proteínas e menos aditivos químicos, especialmente corantes. 

Há uma infinidade de produtos disponíveis no mercado. Por regra, as rações são divididas em três categorias: normal, premium e super premium.

A diferença entre elas está na quantidade e na qualidade de proteína animal da sua composição, bem como na presença de palatabilizantes, conservantes e corantes. A proteína animal é essencial para a saúde do trato digestivo do animal, por isso é recomendada em detrimento das proteínas de origem vegetal. 

Assim, as rações super premium representam o topo da lista de qualidade em termos de composição.

Orientação profissional

Está na dúvida com relação à escolha da melhor ração para o seu pet? A dica é buscar a orientação de um veterinário. O profissional poderá fazer uma avaliação completa da saúde e das necessidades específicas do seu animal e indicar o produto certo para ele.

Animais que passam por procedimentos ou doenças precisam ter atenção redobrada quanto à alimentação e é sempre o veterinário que tem condições de indicar as melhores opções de produtos. 

Ainda, se você vai mudar de ração, não esqueça de fazer o processo de adaptação. Geralmente, os veterinários indicam uma mudança gradual, iniciando com a mistura entre a marca antiga na qual o animal estava acostumado e a marca nova.

Aos poucos você vai aumentando a quantidade da nova ração e diminuindo a antiga, até que a transição seja completamente feita.