Dicas de manejo – Parte 1

10 Dicas de Manejo para manter seu Plantel Saudável

Hoje iniciaremos uma série com 10 dicas de manejo que podem ser adotadas facilmente no dia a dia da criação. Ajudarão a manter a saúde do seu plantel em dia, prevenindo a ocorrência de problemas ou ajudando a identificá-los e resolvê-los com mais facilidade.

Então fique atento às primeiras dicas:

1. Registre o maior número de informações que você puder sobre seus cães

Monte uma ou mais planilhas no computador, compre uma agenda para manter o registro do seu plantel ou adquira um software especializado.Você pode fazer um registro de informações gerais de cada cão, ou dividir as planilhas em informações de saúde geral, genética e reprodução, por exemplo.

Pode parecer algo supérfluo ou talvez complicado de se manter. Entretanto, quando se tem muitos cães, fica difícil lembrar-se de acontecimentos e dados individuais. Essas informações podem ajudar, mais tarde, a identificar problemas, ajustar o manejo do plantel ou ainda ajudar a direcionar melhor seus acasalamentos.

Algumas sugestões de informações que podem ser registradas nessas planilhas:

  • Acompanhamento mensal do peso do cão e quanto cada cão come;
  • Registro de exames de fezes (coproparasitológico),
  • resultados positivos e negativos, quando foram feitas as vermifugações e quais vermífugos foram usados;
  • Vacinações, marca da vacina usada e se foram observados efeitos adversos;
  • Ração utilizada no canil, lote e validade das embalagens, data de abertura e término de cada embalagem;
  • Controle de cios, duração, citologia vaginal, dia em que ovulou;
  • Controle de coberturas, coletas de sêmen, volume coletado, e resultados da análise do sêmen nos machos;
  • Histórico de doenças, tratamentos e medicamentos utilizados;
  • Histórico de sinais estranhos observados nos cães, como ocorrência de vômito, diarreia, alergias, ferimentos, perda de apetite, etc;
  • Controle de ectoparasitas, como quando foram observados carrapatos no ambiente ou nos cães, o que foi usado no controle;
  • Com quantos dias os filhotes de uma ninhada abriram os olhos, começaram a ouvir, andar, descida dos testículos, troca de dentição, primeiro cio nas fêmeas, etc;
  • Para características raciais específicas, quando o filhote trocou a pelagem ou as orelhas ficaram em pés, angulações e medidas…

A análise destes dados a médio e longo prazo pode trazer informações muito valiosas sobre como anda a saúde do seu plantel. Quando costumam ocorrer os problemas ajudando a identificar as causas, a evolução do melhoramento genético da sua linhagem, etc.

Todas essas informações podem ser registradas num software de gestão específico, como o SistemaPET, que contempla todos esses itens e muito outros.

2. Dê mais atenção ao manejo alimentar do seu plantel

Uma das dicas de manejo mais importante refere-se a alimentação.

Sempre nos preocupamos em oferecer o melhor alimento disponível no mercado para nossos cães, mas pouco ou nada se fala sobre como esse alimento deve ser fornecido para garantirmos que estamos aproveitando todos seus benefícios. As principais medidas são:

2.1. Armazene corretamente a ração

O primeiro passo para uma boa alimentação é a inspeção e o armazenamento correto da ração assim que ela chega ao seu canil. Observe se todas as embalagens estão intactas ao descarregar e reserve um local específico para armazená-las.

Este local não deve receber luz solar direta e deve ser seco e arejado. Empilhe as embalagens sobre um estrado, evitando o contato direto com o chão e paredes. E faça controle constante de pragas como formigas, moscas, baratas e roedores no local.

Ao abrir uma embalagem de ração, seu consumo deve ocorrer dentro de no máximo 1 mês, pois o contato com o ar e iluminação ambiente começa a degradar os nutrientes, principalmente as vitaminas e gorduras.

A ração deve ser conservada dentro de sua própria embalagem após aberta e esta embalagem contendo a ração deve ser acondicionada em um recipiente plástico com tampa, que tenha bom fechamento e seja de cor escura, que impeça a passagem de luz para seu interior.

Os latões de lixo de 50 ou 100L são ótimas opções, com baixo custo. O recipiente também deve ficar abrigado da luz solar e umidade.

tambor para armazenar ração

2.2. Acompanhe o peso e a condição corporal dos seus cães

Faça uma pesagem e uma avaliação de condição corporal mensal de todos os cães e verifique se estão mantendo, ganhando ou perdendo peso.

É importante que os cães sejam mantidos no peso ideal, uma vez que o sobrepeso predispõe a inúmeras doenças, como as cardiovasculares, ortopédicas e desenvolvimento de tumores, além de diminuir a expectativa de vida.

Cães reprodutores merecem um cuidado ainda maior com o peso, já que animais em sobrepeso ou obesos tem diversos problemas reprodutivos associados, como dificuldade na monta natural, dificuldade na concepção, menor número de filhotes por gestação e maior ocorrência de partos distócicos.

2.3. Saiba a quantidade de comida que você oferece para seus cães

Meça a quantidade de comida diária que você oferece para seus cães em gramas. É uma das dicas de manejo mais simples e de grande impacto no dia a dia.

Ao pesar a quantidade uma vez, escolha um medidor, de preferência em formato de copo, estreito e longo, e faça uma marquinha para saber a quantidade que deve ser fornecida por refeição. Assim é mais fácil controlar o ganho ou perda de peso dos cães.

medidor de ração

Os ajustes na dieta podem ser quinzenais ou mensais, aumentando ou diminuindo a quantidade oferecida em 10%. Caso o cão tenha perdido ou ganhado peso nesse período, repetindo os ajustes até o peso do cão se estabilizar.

Para cães em sobrepeso ou obesos, o veterinário nutrólogo deve elaborar um programa de perda de peso específico. Dieta e exercícios adequados serão recomendados, até que o cão atinja o peso ideal.