domingo, junho 23, 2024
Infraestrutura

Deixando os Animais Sozinhos

Necessidade

Deixar os Animais Sozinhos é uma necessidade comum a várias criadores pelo Brasil.

Como sabemos muitos criadores não tem como principal atividade a criação de animais de raça. Exercem essa atividade como uma forma de hobby ou complemento de renda. E algumas criações podem ser de fato pequenas, com menos de 10 animais no plantel.

Além disso, como já vimos no artigo sobre visita ao criador, em muitos casos as instalações são na residência do criador.

Como o criador precisa exercer a atividade principal em um outro local de trabalho. É necessário deixar os animais sozinhos muitas horas ao longo do dia.

Vamos falar um pouco do que é necessário, vantagens e desvantagens dessa abordagem.

Local para Animais Sozinhos

Para poderem ficar mais confortáveis, se exercitarem e interagir, o local deve ser espaçoso. O tamanho do espaço vai variar de acordo com a raça e com o plantel. É possível deixar alguns animais de pequeno porte em um apartemanto, mas, recomenda-se que sejam poucos.

Se o local for fechado, é importante zelar pela higiene. Se for num apartamento, por exemplo, o local para fazer as necessidades dever ser muito bem preparado para não deixar cheiro forte ao longo do dia ou da noite.

Plantéis maiores ou com animais de maior porte, o ideal são casas com áreas externas maiores. Dessa forma eles poderão gastar energia, interagir e fazer as necessidades longe de onde costumam descansar.

Cuidados

Alguns cuidados especiais devem ser tomados para que esse tipo de situação não gerem maiores problemas. Vamos falar desse aspecto para que ocorra tudo bem com os animais sozinhos.

Áreas Separadas

No caso de matilhas onde podem haver conflitos entre os animais, o ideal é separar o pátio em áreas. Levando em conta que a separação deve ser resistente a todo tipo de tentativa de um animal de passar.

Assim como deve haver áreas que possam ser isoladas para fêmeas no cio, ninhadas, animais em recuperação, etc. Essas área podem ser menores, pois o animal não deverá passar muitos dias nesses locais.

Fugas

Lembre-se que sem supervisão, o animal poderá tentar fugir do local, caso ele não seja bem murado.

Telas, cercas ou quaisquer formas de separação, se não forem muito resistêntes podem ser burladas por um animal com força e que tenha tempo suficiente para abrir uma brecha. Portanto, se o animal for ficar sozinho, tenha certeza que ele ficará contido na área determinada.

Alguns raças podem cavar e acabar fugindo por baixo do local de separação, portanto, atente-se a esses detalhes.

Água

A alimentação deve ser sempre fornecida sob supervisão do criador, mas os animais devem ter sempre uma fonte de água limpa e fresca.

Vasilhas podem ser uma ótima opção, entretanto, se forem viradas, os animais podem ficar sem água por tempo demais. O ideal seriam recipientes fixos ou de difícil movimentação além de ter mais de uma opção de fonte de água.

A água deve ser sempre abundante, pois caso ocorra um acidente com um local, outras opções estariam presentes.

Espaços Pequenos

O confinamento, durante muitas horas, em espaços reduzidos tendem a causar problemas psicológicos nos animais.

Agressividade, fobias, atitudes destrutivas, etc podem ser sintomas de locais muito restritos e pouca atividade dos animais. Logo, se esse comportamento começar a se apresentar, fique atento de que o espaço destinado a eles podem ser pequeno demais.

Monitoramento Remoto de Animais Sozinhos

Hoje em dia é possível ter um sistema de monitoramento de forma barata e sem a necessidade de pagar mensalidade.

As câmeras evoluíram muito e o valor delas caiu bastante. Hoje é possível acessar imagens de alta resolução, tanto de dia quanto à noite, de qualquer lugar.

Além de servir como uma forma maior de segurança, permite ao criador monitorar as atividades dos animais remotamente e, em caso de problemas, se deslocar ou acionar alguém para solucionar o problema.

Segurança

Principalmente nas raças pequenas, deixar os animais sozinhos pode ser um risco grande em caso de furto.

Já houveram casos em que plantéis inteiros ou grande parte dele foi furtado e não havia ninguém no local para evitar ou alertar quanto ao roubo.

Recentemente até mesmo os furtos promovidos pelas ONG’s tem acontecido em locais sem supervisão constante.

Criações Grandes

No caso de criações com muitos animais, não é recomendado que elas fiquem sozinhas. O ideal é ter sempre alguém no local para monitorar e auxiliar os animais.

Quanto maior a quantidade de animais, maior as chances de problemas, mais recorrente será a limpeza do ambiente, menor tenderá a serem os espaços compartilhados disponíveis, etc.

Alguns criadores tem áreas diferentes das suas residências, onde mantém os animais. Nesses casos também recomenda-se que tenha sempre a presença humana próxima. Quando o criador está nesse nível, a contratação de, ao menos, um funcionário torna-se extremamente recomendada.

Caso a criação tenha poucos exemplares, mas o espaço também seja reduzido, caberá ao criador também avaliar a permanência constante. Pois a questão de higiene e estresse dos animais poderá ser um complicador.

Conclusão

Obviamente o ideal é que os animais sempre tenham monitoramento de alguém. Entretanto, sabemos que em alguns casos é necessário e possível que os animais fiquem sozinho por um período de tempo sem maiores problemas.

Com o uso das tecnologias atuais, o monitoramento atual pode ser remoto e é um investimento acessível hoje em dia.

O importante é que o criador fique atento à saúde, segurança e bem estar de seu animais.

Eduardo Antunes

CEO do SistemaPET, Criador desde 1997. Bacharel de TI pela UFPEL 1998. Especialista em Marketing Digital.