Venda Segura de filhotes – Como não ser trapaceado ao vender seu filhote

Venda Segura de filhotes no passado

Hoje em dia temos muitas ferramentas que tornaram a venda dos filhotes muito mais segura. O cartão de crédito e o próprio acesso as ferramentas bancários descomplicaram muito o processo de venda.
Antigamente para efetuar um parcelamento, era necessária uma troca de documentos via Correios e, muitas vezes, o envio de cheques pré-datados. Uma operação de alto risco!

Principais Riscos ao efetuar uma Venda

Os problemas podem ser de qualquer espécie, desde reclamações menos sérias sobre os filhotes até problemas que culminam em crises sérias e acionamento da Justiça para resolver a questão.
Problemas podem ocorrer com o filhote, que sai do canil ou gatil gozando perfeita saúde e ao chegar no destino, o cliente informa uma infinidade de problemas no mesmo dia da chegada ou poucos dias após a chegada.
Ainda existe o risco de golpe, mais provável nas compras à distância, mas podem ocorrer também em vendas presenciais. O cliente utiliza algum meio de pagamento a prazo e por qualquer razão, a compra é cancelada.

Dicas para efetuar a Venda Segura

Para reduzir as chances de problemas, elaboramos algumas ações simples que podem evitar esses transtornos e fazer com que a Venda Segura ocorra.

Seja claro e transparente.

Criar não é como produzir um manufaturado qualquer. Existe uma série de riscos que devem estar claros para os futuros compradores. Alguns riscos são minimizados, como vacinações e alguns exames dos pais. Já outros ainda não existe a possibilidade de prever.
Procure informar a seu cliente a respeito dos riscos de doenças que a raça tem, quais são as garantias dada pelo criador.
Se puder ter em seu site um local falando claramente da sua forma de venda, garantias, riscos e tudo mais, será muito útil para evitar problemas. Quanto mais fácil for encontrar essas informações melhor será para a Venda Segura.
Post’s em redes sociais são de difícil localização, já um site com a seção certa é de fácil localização. Mas não exime você de enviar as mesmas informações por email com o mesmo texto ou o link para a seção.

Fique atendo ao Código de Defesa do Consumidor (CDC)

Assim como o padrão da raça, o criador deve conhecer bem o código de defesa do consumidor. Não existe a chance de uma Venda Segura sem o conhecimento por parte do criador do CDC.
Alguns acreditam que fazer um contrato é suficiente para se garantir de uma série de eventos. Entretanto as cláusulas não podem ir contra o CDC.
Pagamento de Reservas, Desistências, Garantias, etc. Existem vários itens em que o CDC já tem regulamentação clara. Portanto, fique atento e na dúvida, contrate um advogado especializado em CDC para a elaboração de seus contrato.

Faça um checklist completo na entrega do filhote.

Já ouvimos casos em que o filhote saiu perfeito do canil e foi entregue ao proprietário que no dia seguinte já entrava em contato reclamando de tudo, problemas de pele, falta de testículos, orelhas que estavam em pé e não estão mais, etc.
Elabore um checklist completo, não apenas um atestado de saúde, mas um checklist com todos os itens a serem avaliados, orelhas, olhos, peles, etc. Esse documento será fundamental para tornar a venda segura mais garantida.
Se possível, solicite ao veterinário de sua confiança que assine o checklist. Se o cliente estiver junto, solicite que ele acompanhe o checklist e ele mesmo poderá assinar junto. E se for possível filmar o checklist também o faça. Coloque os vídeos no Youtube em modo onde só você possa ver, assim ficará num backup seguro pelo tempo necessário.

Cuidado com os pagamentos

Mesmo que você venda no cartão, a prazo, em 10x, ele poderá cancelar a venda lá na nona parcela. Portanto tenha os documentos que comprovem a venda em mãos. A Nota Fiscal ou Contrato de Venda com a forma de pagamento.
Outro detalhe é que as vezes o cartão utilizado é de um terceiro. Por exemplo, a esposa compra o cão, mas o cartão utilizado é do marido. Nesses casos em que o cartão utilizado não é do titular da venda, é importantíssimo que o titular do cartão também assine o contrato com comprador ou destinatário da Nota Fiscal.
Se o cão for enviado, dê preferencia para o envio ao titular do pagamento e guarde a documentação até que todas as parcelas estiverem devidamente pagas.
Se a venda for presencial, confira as assinaturas e documentos de identidade.
E mantenha a documentação até o pagamento ser concretizado! Assim a venda segura estará mais garantida!

Conheça seu perfil de clientes.

Se você costuma anunciar em locais onde a disputa por preço é o principal item avaliado, o cliente poderá ter dificuldades no pagamento e poderá preferir o conflito, ao pagamento.
Ainda mais quando o filhote chegar e novos custos aparecerem para o comprador. Outro problema é o cliente que quer um filhote que não solte pelos, não faça xixi,…, etc.
Procure ter um roteiro com perguntas básicas ou informações que você necessita para reduzir as chances de problemas posteriores.
Assim, quanto mais conhecer o futuro cliente antes mesmo dele adquirir o filhote, maior será a oportunidade de prepará-lo e conhecê-lo melhor e, se for o caso, evitar uma venda problemática.
Uma outra dica fundamental é colocar o futuro cliente no Google e nas redes sociais. Dessa forma eventuais problemas com o potencial poderão estar lá! Você poderá utilizar vários itens para pesquisa: email, cpf, nome, etc.
Quanto mais conhecer o cliente, melhor a chance da venda segura.

Eduardo Antunes

CEO do SistemaPET, Criador desde 1997. Bacharel de TI pela UFPEL 1998. Especialista em Marketing Digital.